quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Continuo a iludir-me

Continuo a iludir-me sem razão para o fazer, mas nem com os meus erros eu aprendo. Iludo-me pois crio expectativas, acredito que as pessoas possam mudar com os seus atos e no final quem se fode sou eu!
Como sabem eu e o Y acabamos já à um mês e tal, e a pedido dele quando acabamos foi pelo menos tentar sermos amigos, na altura como é obvio eu só queria distancia dele...e nem me sentia preparada para ser amiga dele depois de ter tido uma relação longa e intima com o mesmo. Durante algum tempo ainda mantivemos contacto, mas eu percebi que isso não me estava a fazer bem, sendo que "o terminar da relação" ainda era muito fresco.

 Então durante algum tempo cortei qualquer contacto com ele, e isso ajudou-me a ver e a dar mais atenção ao que me rodeia. Comecei a preocupar-me mais comigo mesma, e consegui acalmar a dor que tinha dentro de mim.

Então quando me senti preparada voltei a contacta-lo pois queria terminar a minha tattoo da perna, e como é obvio se tinha começado a faze-la com ele, teria de a terminar com ele. Marcamos um dia e lá fui eu acabar a minha bebé, fiquei impressionada pois não me custou tanto a termina-la (adorei o acabamento) mas tem de haver um se não no meio disto tudo não é?
Ele recebeu-me como se eu nunca tivesse estado na vida dele, eu senti que ele estava incomodado com a minha presença, que se me pudesse  evitar que o teria feito, senti alguma frieza da parte dele em relação pra comigo. Desconfio o motivo pelo qual ele esteja a reagir assim comigo, na altura quando eu estava mais abalada desabafei com o melhor amigo dele e este deve ter ficado a saber de tudo! Mas o Y tem de tentar compreender que eu na altura estava magoada, e o que eu disse ao R em relação ao Y foi tudo verdade, foi tudo o que senti, tudo o que tinha guardado dentro de mim.

O Y ainda tem muito que crescer pois só a idade não quer dizer nada, ele tem de crescer  em termos de maturidade, responsabilidades, e mentalidade. Mas agora quem sou eu para dizer seja o que for, corri muito por ele, tentei ajuda-lo a crescer enquanto pessoa mas quando o outro nos põe em segundo plano e ainda nos trai...so pensamos que o quer que tenhamos feito foi em vão e não serviu de nada. Ao menos sei que tentei e isso é um facto que me tranquiliza todas as noites. (Não sei se ele sequer se ele vai ler isto, mas olhem fodasse)

Entretanto esta semana voltei a entrar em contacto com ele, pois quero uma nova bebé tatuada no meu corpo!
Ele disse que terei de pagar um valor simbólico por esta próxima tattoo, por um lago compreendo o facto de ter de pagar pois esta vai levar algum tempo, e trabalho da parte dele. Mas por outro lado não acho justo, pois sei que amigos mais próximos dele, consoante as tattoos também não pagam, mas eu fico com inveja porque quando ainda namorávamos ele fez tattos ao R e estas não eram pequenas e não lhe cobrou nada, e agora eu que só desfrutei de 2 tattoos pequenas, e 1 grande sem pagar enquanto era alguém na vida dele...porque é que agora tentando ser amiga também não posso ter esse privilegio?!?! Quer dizer, eu fui alguém na vida dele certo? Não estive com ele assim tão pouco tempo, para ele agora me tratar como uma conhecida!

Tudo bem vou pagar sem problemas, mas só não compreendo o facto de agora eu estar a tentar ser amiga dele, e este tem dias que me trata como "melhor amiga" e outros como se eu nunca tivesse sequer partilhado a mesma casa de banho com ele.

E aqui é que entra a parte em que eu me iludo, criei a expectativa de que poderia ser amiga dele, mas com o feitiozinho de merda com que ele, a vontade de sequer tentar alguma coisa desaparece em três tempos. Veremos como corre, mas fiquei descansados que por esta amizade eu nem me vou esforçar em correr, se ele assim a quizer eu estarei cá para ser amiga caso contrario "caguei e andei"!

Sem comentários:

Enviar um comentário